segunda-feira, 17 de agosto de 2009

- melhor interface de audio...



Você sabe qual é a melhor interface de áudio pro seu HomeStudio?


Gravar musicas através do computador de casa só se tornou possível e fácil graças à popularização das interfaces conversoras de áudio A/D e D/A. No começo da década de 90 só ouvíamos falar da SOUND BLASTER que era a placa mais usada e servia para executar CDs de musica nos computadores domésticos. Com a evolução da industria de informática um novo mercado voltado á musica digital foi se desenvolvendo e hoje, poucos anos depois daquela primeira SOUND BLASTER, já existe uma infinidade de placas conversoras muito mais sofisticadas e capazes de transformar o seu PC em um verdadeiro estúdio profissional de gravação de áudio.

Os primeiros conversores criados para serem usados em micro computadores pessoais (PC) eram placas internas do tipo PCI conectadas à motherboard e tinham resolução de 44.1Khz em 16 bits que é a taxa de amostragem utilizada nos CDs de musica que utilizamos atualmente. Com o desenvolvimento de novas mídias capazes de armazenar dados em resoluções mais altas, novos conversores foram sendo criados, permitindo que um computador PC comum possa gravar áudio em resoluções de 48Khz, 96Khz e até 192khz em 24bits.

O aumento da resolução em uma gravação de áudio resulta em uma sonoridade mais rica em detalhes e harmônicos, nos causando uma sensação de claridade, limpeza e realismo no som que estamos ouvindo. Chamamos esse tipo de sensação de psicoacústica e abordaremos melhor esse tema em outro artigo. O problema disso tudo é que quanto mais aumentamos a resolução e a taxa de amostragem, maior sera o tamanho dos arquivos de áudio a serem gerados. Em função disso se torna necessário adquirirmos Hard Disks cada vez mais robustos, com maior capacidade de armazenamento e mais velozes na leitura e registro dos dados. Algumas pessoas devem se lembrar que há apenas dez anos atrás um HD de 20Gb era considerado enorme e hoje em dia os notebooks mais modestos costumam ser de montados com pelo menos 120Gb de Hard Disk.

Com o desenvolvimento dos computadores portáteis surgiram várias interfaces externas que se utilizam de conectores USB e Fire Wire. Algumas possuem pré amplificadores e até saída para monitores e headphones com regulagem de volume independente. É interessante lembrar que é possível encontrar interfaces com uma mesma configuração, e que apesar disso possuem sonoridade bastante diferente. Ou seja, o que determina a qualidade de uma interface não é apenas a sua capacidade de trabalhar em taxas de amostragem mais altas. Já passei por várias situações onde havia duas interfaces diferentes, ambas trabalhando em 44.1Khz em 16bits e era facilmente perceptível a diferença da sonoridade e a qualidade do áudio de uma em relação à outra. É claro que não podemos esperar que uma interface de R$200,00 tenha a mesma sonoridade de uma de R$2.000,00 ainda que as duas estejam trabalhando com a mesma taxa de amostragem. Sendo assim, o que vai definir a qualidade de uma interface é o seu conversor, e a precisão com que ele calcula a conversão do áudio, além é claro, da qualidade dos componentes eletrônicos usados na sua fabricação.

Feita sob medida para quem busca a melhor relação custo beneficio, a interface mais popular da atualidade é indiscutivelmente a BEHRINGER UCA202. Trata-se de uma placa portátil muito pequena, muito leve e muito barata. Ela possui conector USB, conta com dois canais de entrada e trabalha em 44.1Khz e 48Khz em 16bits. É compatível com a maioria dos programas de gravação de áudio e não precisa de drivers específicos, é só conectar e começar a usar... O melhor de tudo é que ela pode ser facilmente encontrada por aproximadamente R$160,00. Quando eu soube da sua existência fiquei impressionado com o preço o tamanho e a facilidade de uso. Confesso que eu não acreditava que um conversor tão barato pudesse apresentar um bom resultado. Resolvi comprar só pra ver se funcionava... E não é que a “pequena notável” funciona mesmo!!! É verdade que ela não tem o som de uma APOGEE DUET que seria a similar portátil da APOGEE, com preço em torno de R$2.000,00. Mas vale ressaltar também que sendo dez vezes mais cara, o minimo que se espera da APOGEE DUET é que ela realmente soe melhor que a maioria das suas concorrentes.

Ainda no segmento das portáteis, uma ótima opção é a FAST TRACK da M-AUDIO, também possui conector USB, mas tem a vantagem de contar com uma entrada xlr e um pré em um de seus dois canais de entrada. Trabalha em 44.1Khz e 48Khz em 24bits e é compatível com a versão M-POWER do consagrado programa de gravação PROTOOLS da DIGIDESIGN. A sua desvantagem é que ela não apresenta phanton power, mas em compensação o seu preço é muito convidativo. Custa em torno de R$480,00 e possui a qualidade já bastante conhecida dos conversores da M-AUDIO. Eu dei a sorte de achar uma promoção no MERCADO LIVRE e comprei uma novinha pela bagatela de R$299,00. Precinho... Tenho utilizado ela sempre que estou em viagens e preciso fazer uma gravação mais simples com o meu netbook MOBO WHITE 150 da POSITIVO.

A M-AUDIO possui ainda outros modelos com conector USB como é o caso da FAST TRACK PRO com quatro canais por R$680,00, a FAST TRACK ULTRA com seis canais por R$1.350,00 e o novo lançamento da M-AUDIO, a FAST TRACK ULTRA 8R com oito canais por aproximadamente R$1.900,00. Esses três modelos da M-AUDIO possuem prés de microfone nos canais de entrada, dispensando a necessidade de mesas de som para realizar as gravações. Ambas trabalham em até 96Khz em 24bits e como todos os equipamentos da M-AUDIO elas também são compatíveis com todos os softwares de gravação, inclusive o PROTOOLS M-POWER.

Ainda falando de M-AUDIO, vale frisar que por apresentarem uma ótima relação custo beneficio, as placas PCI dessa marca são as mais populares da atualidade. A DELTA 1010LT possui oito canais e conectores MIDI. Ela é um grande sucesso de venda em função do seu preço convidativo de aproximadamente R$700,00. Já a AUDIOPHILE 2496 é a mais popular entre elas. Ela vem com dois canais e conectores MIDI e pode ser encontrada por R$400,00. A placa superstar da M-AUDIO é a AUDIOPHILE 192, ela possui dois canais analógicos e dois digitais, além conectores MIDI. Já ganhou todos os prêmios da categoria, conta com os melhores conversores da atualidade e trabalha em até192Khz em 24bits podendo ser encontrada por R$950,00. Ela está indiscutivelmente entre as melhores placas do mundo. Eu mesmo já tive uma e confirmo a sua qualidade e o motivo de sua fama. Sinceramente não me lembro de nenhum outro equipamento desse nível por esse preço...

Para quem faz questão de utilizar a plataforma PROTOOLS, a DIGIDESIGN criou também vários modelos de interface, atendendo assim a todos os tipos de situação. O mais popular entre eles é o DIGIDESIGN MBOX2 PRO FIRE WIRE, que pode ser encontrado por R$3000,00. Essa interface trabalha em 96Khz em 24bits e vem com 6 entradas/inputs simultâneas, 8 saídas simultâneas, 4 entradas analógicas (2 XLR/1/4' TRS e 2 1/4' TRS ), 6 saídas analógicas (¼'), 2 entradas para instrumentos no painel frontal, 2 canais de entradas e saídas S/PDIF, entrada RCA para toca-discos, 1 entrada e uma saída MIDI (16 canais in/16 canais out), suporte MTS, entrada e saída BNC Word Clock, monitoração de baixa latência, saídas dedicadas para monitor com controle de volume, duas saídas de fone de ouvido com volumes independentes e phantom power de 48V. A sua versão menor é a MBOX2 que utiliza conector USB e possui 2 canais de áudio além do conversor MIDI. A MBOX2 é atualmente o modelo mais vendido da DIGIDESIGN e pode ser encontrada na internet por aproximadamente R$1.500,00.

É importante deixar claro que esse é o segmento LE da plataforma PROTOOLS. Existe também a linha PROTOOLS TDM que é uma plataforma de alta performance criada pela DIGIDESIGN afim de atender a estúdios profissionais de grande porte. A linha TDM requer hardware específico, suas configurações são modulares para melhor atender às necessidades de cada cliente e costumam custar bastante caro. Não se monta uma plataforma dessas por menos de R$50.000,00.

Existe ainda várias outras marcas e modelos... Fica difícil lembrar de todas agora, mas não posso terminar esse artigo sem citar a ADA8000 da BEHRINGER com 8 canais por apenas R$900,00, a PRESONUS AUDIOBOX USB com 2 canais por R$700,00, a EMU PROTEUS X também com 2 canais por R$400,00, a AEB 8/I da RME com 8 canais por R$400,00, a LINE 6 TONE PORT UX1 USB com 2 canais por R$600,00, a ótima TAPCO LINKUSB com 2 canais por R$500,00, a MACKIE SPIKE USB com 2 canais e MIDI por R$1.500,00, a ROLAND EDIROL Ua-101 com 10 canais por R$2.000,00, a MOTU 828 Mk3 com 8 canais por aproximadamente R$5.000,00 e finalmente a fantástica APOGEE ROSETTA 800 com 8 canais trabalhando em 192Khz em 24bits pela bagatela de R$12.000,00.

Todas essas interfaces aqui citadas estão dentro do que podemos chamar de padrão profissional de áudio, cada uma delas tem as suas peculiaridades, mas todas possuem boa performance e ótima sonoridade, podendo ser consideradas uma boa aquisição desde que tenhamos a consciência das suas limitações e da utilização que pretendemos dar a elas.

Esperamos que esse artigo possa lhe auxiliar no momento de decidir sobre a aquisição de uma interface. Caso possua alguma duvida mais especifica escreva para doutormusica@gmail.com e acompanhe os artigos postados para ler a sua resposta. Teremos muito prazer em ajuda-lo, sendo assim pedimos que nos ajude divulgando o nosso site aos seus amigos sempre que possível.

Um abraço... e até a próxima...

3 comentários:

  1. Muito obrigado, estava precisando dessas dicas, resumiu muito bem as opções disponíveis. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. A PLACA UA-1G DA ROLAND O QUE TEM A DIZER DELA.

    ResponderExcluir
  3. valeu man, muito esclarecedor seu post.
    Wilame AC

    ResponderExcluir